sábado, 15 de dezembro de 2012

Amar (NÃO) é...

     ...passar a mão na cabeça quando você sabe que a pessoa precisa de uma repreensão.
     ...concordar com tudo que ela diz, mesmo discordando  de mais da metade do que ela está falando.
     ...dar o ombro "amigo" quando sabe que ela acabou de fazer uma besteira e se sente cheia de razão.
     ...ajudá-la a fazer algo que a pessoa acha certo mas que vai prejudicar ela mesma ou uma outra pessoa ou grupo de pessoas.
     Em fim: quem ama não pode se omitir, deixar quieto, fazer vista grossa, em "nome do amor". O amor verdadeiro exige  abordagem franca, bronca, repreensão severa e até punição com um afastamento, o famoso "gelo", para que a pessoa possa refletir e retornar a sensatez. 
     Certa vez o Senhor Deus fez isso com Israel, dizendo: "Então voltarei ao meu lugar até que eles admitam sua culpa. E eles buscarão a minha face; em sua necessidade eles me buscarão ansiosamente" (Os 5:15).
     Deus tem me tratado assim. Deus me ama, mas retira a sensação de Sua Presença quando me encontro resistente ao seu tratamento. Amo a Deus por isso. Ele não endossa meus pecados, Ele não me trata com "mimo", não se submete as minhas manhas e não me deixa passar para a "lição 5" quando não conclui a "lição 4".



Um comentário:

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...