terça-feira, 26 de março de 2013

A difícil escolha do líder.


     Se você lidera, mais cedo ou mais tarde, terá que fazer uma escolha: ser popular ou eficaz
     A eficácia está em obter resultados, que nem sempre podem ser  medidos numericamente.  
     A popularidade caminha no outro extremo. Depende dos números, dos adeptos, dos aplausos.
     Ser eficaz é atingir a meta, mas regido por valores pessoais, inegociáveis, eternos.
     Ser popular é negociar valores, propósitos, atento as expectativas alheias, modificando a rota para permanecer popular. 
     Ser eficaz é ser inflexível quanto ao rumo, ao destino, ao alvo desejado. Qualquer alteração passa pelo crivo da ética, da moral, do que já foi definido. O eficaz é servo e não senhor da sua missão.
     Ser popular é construir sobre a falácia de que "os fins justificam os meios". Ser eficaz, ao contrário, leva em conta a validade dos meios usados para se atingir o fim.
     Se optar por ser eficaz  irá contrariar muitos. Será julgado, sentenciado e condenado pelo tribunal da popularidade que não admite a retidão constante, destemida, obstinada.
     Se optar por ser popular,  terá muitos ao seu lado. Obterá prêmios, será paparicado, mas perceberá que atingiu "um fim" e não "o fim".  
     Se decidir ser eficaz  atingirá o alvo e os objetivos traçados, mas estará  ferido, desgastado e talvez esquecido. No entanto, na arquibancada da vida, haverá uma torcedora linda, fiel, agitando delicadamente uma bandeira com o seu nome, e cujo aplauso você jamais esquecerá.     
     Quem e ela? Sua consciência.
     Pense nisso.



Como viver em paz em um mundo em convulsão?

Silvio Brito na década de 70 cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com “ – pare o mundo que eu quero...