sábado, 26 de novembro de 2016

O Ateísmo do Dr. House e a minha inteligência.



              A série de TV “House” é uma das mais bem boladas  da TV paga, e seu personagem principal, Dr. House, propôs um novo estilo de herói: inteligente, irônico e ateu. Assisti a vários episódios e tenho que admitir que suas tiradas são mesmo incríveis. O enredo dos episódios  são muito bem construídos e às vezes a ironia do personagem central é tamanha que precisamos assistir mais vezes para tentar entender o que aconteceu.

                Hugh Laurie é inglês e confessa ter sido difícil estrelar a longa série norte americana, tornando-se o ator mais bem pago da TV na época.

                Uma de suas frases mais instigantes  é: “Se você fala com Deus, você é um religioso. Se Deus fala com você, você é um psicótico”. Esta é uma das frases que merece resposta, pois pensando bem, atinge minha crença em Deus e principalmente minha inteligência.


Um argumento em favor da fé.

                A crença numa divindade transcendente é universal. Está presente nas mais sofisticadas sociedades capitalistas ou socialistas como também nas mais primitivas.

                Além disso a própria medicina tem reconhecido que a crença em “um deus” e a pratica de “uma religião”, seja qual for, contribui para a recuperação da maioria dos pacientes. Chamamos de medicina “holística”, ou seja, cuidado integral do paciente incluindo sua espiritualidade.

                Além disso, a crença em um Deus pessoal, como creem as religiões monoteístas (Judaísmo, Islamismo e Cristianismo) prevê uma comunicação com Deus onde o fiel fala e Deus ouve, e Deus fala e o fiel ouve. Sendo estas três religiões as maiores (numericamente falando), teríamos que admitir que quase a totalidade dos habitantes do planeta seriam psicóticos.

                Temos outro bom argumento contra a ironia do Dr. House. Cientistas renomados como Nicolau Copérnico, astrônomo (1473-1543), Johannes Kepler, matemático e astrônomo (1571-1630), Galileu Galilei (1564-1642), René Descartes, matemático, cientista e filósofo (1596-1650), Isaac Newton, gênio da mecânica e matemática (1642-1727), Robert Boyle, químico (1791-1867) foram renomados cristãos cuja fé não afetou sua inteligência, pelo contrário, a potencializou.


Ciência e fé.

   Não podemos nos esquecer de Albert Einstein (1879-1955).  Embora nunca tenha chegado a crer num Deus pessoal,  reconheceu a impossibilidade de um universo não criado. A Enciclopédia Britânica em um artigo sobre sua pessoa, diz: “Firmemente negando o ateísmo, Einstein expressou uma crença no ‘Deus de Espinoza’, que se revela na harmonia do que existe. Isto realmente motivou seu interesse na ciência, como ele certa vez afirmou a um jovem físico: 'Eu não sei como Deus criou este mundo, eu não estou interessado neste ou naquele fenômeno, no espectro deste ou daquele elemento. Eu quero conhecer os Seus pensamentos, o resto são detalhes'. O famoso epíteto de Einsten sobre o 'princípio da incerteza' era que 'Deus não joga dados' - e para ele esta foi uma real declaração sobre um Deus em quem ele cria. Uma das suas afirmações famosas é: 'Ciência sem religião é coxa, religião sem ciência é cega". ¹


Se House estiver certo...

   Se House estiver certo, grandes reis como Davi e Salomão foram psicóticos, pois ouviram a voz de Deus. Paulo, o apóstolo, cidadão romano e estadista cristão, um dos principais responsáveis para que o cristianismo se espalhasse por todo mundo antigo e enfraquecesse o poderoso Império Romano, era um psicótico. O que House afirma sobre a fé é tão sério, que teríamos que atribuir psicose a Martinho Lutero, Madre Tereza de Calcutá, Martin Luther King Jr. , Bispo Desmond Tutu e uma infinidade de cristãos que entraram para a história como formadores de opinião e transformadores sociais.


                Pensando bem, esta frase não me impede de assistir e continuar assistindo alguns episódios da série, pois inteligência instigante me atrai. No entanto, sua frase destacada neste artigo é ridícula, inconsequente, falaciosa e maliciosa, pois, se pretende defender o ateísmo que o faça de modo mais inteligente, pois chamar religiosos de psicóticos, além de não ser politicamente correto, constitui-se numa blasfêmia inominável.



“Antigamente, por meio dos profetas, Deus falou muitas vezes e de muitas maneiras aos nossos antepassados, mas nestes últimos tempos ele nos falou por meio do seu Filho” (Hb 1:1,2).

 “Eu, o SENHOR, não mudo” (Malaquias 3:6).

  “​Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre” (Hebreus 13:8)

               

               



¹ Fonte: http://www.monergismo.com/textos/apologetica/cientistas_famosos.htm

2 comentários:

  1. Muito bom! PArabéns pelo trabalho!
    Texto muito bem construído e consistente!
    Assisti alguns episódios do House e em pouco tempo a gente consegue perceber nele este perfil ateísta e de uma cosmovisão humanista e secularizada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu seu comentário Lucas! Obrigado filho. Compartilhe. Beijo.

      Excluir

Como viver em paz em um mundo em convulsão?

Silvio Brito na década de 70 cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com “ – pare o mundo que eu quero...