quarta-feira, 19 de junho de 2013

Manifestos por todo Brasil. E os cristãos?

     Há duas vertentes entre os que se consideram cristãos de fé evangélica. De um lado os que acreditam que "lugar de crente é na igreja, orando". Do outro, que "lugar de crente é na rua, lutando". 
    Em defesa da primeira posição, penso que o cristão é chamado a interceder (1a. Tm 2:1 e 2) e sua luta não é contra pessoas ou organizações humanas, mas um confronto espiritual(Ef 6:12). 
     Por outro lado, ser cristão também é "ir para a rua", pois Jesus disse que deveríamos fazer nossa luz brilhar "diante dos homens" (Mt 5:16). Como dizia o profeta: "Busquem a justiça, acabem com a opressão. Lutem pelos direitos do órfão, defendam a causa da viúva" (Isaías 1:17).
     Temo porém que tal engajamento seja passional, circunstancial, no "vai da valsa" e não fruto de uma convicção arraigada em conhecimento bíblico e política limpa. Temo que venhamos a perder o foco. A única ordem que Jesus deixou a Sua Igreja foi a de fazer discípulos e pregar a palavra (Mt 28:19 e Mc 16:15).
     Mesmo que a causa for justa, nobre e urgente, é preciso cautela e jamais abandonar nossa posição profética, intercessoria e apartidária. 
     As manifestações que assisto pela TV me lembram Pv 29:2 : "Quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme". Sem dúvida, é um retrato do que estamos vendo nas capitais e grandes cidades do país. 
     Creio que lugar do crente é na rua, porém não sem antes orar, clamar, interceder pois o emprego da força não é nossa estratégia (Zc 4:6 b). 
     Sou contra a fé que prega alienação, mas não sou a favor de um engajamento onde parece que nós mesmos temos a força de mudar a nação. 
     Você que é cristão lute pelo Brasil. Primeiramente em oração (Jr 29:7). Não se esqueça, porém, das sábias e verdadeiras palavras do autor de Hebreus sobre os heróis da  fé: "Todos estes ainda viveram pela fé, e morreram sem receber o que tinha sido prometido... reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos na terra.  Os que assim falam mostram que estão buscando uma pátria.  (...) Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial".
(Hb 11:14 à 16).
    Lugar de "crente" é na igreja, orando. Depois na rua, manifestando-se. Jamais na força da carne, mas no poder do Espírito.

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...