segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Quem é você pra me julgar?


 “ – Ei, pera aí! Você tá me julgando!” 
     Já ouviu isso? 
    Você está  tentando mostrar que a pessoa está equivocada, quer ajudar, quer ver a pessoa  crescer,  aprender e a se libertar de certos conceitos insustentáveis e ainda tem que ouvi-la citar o versículo:  "Não julgueis, para que não sejais julgados (Mateus 7: 1 à 5). 
      Diante disso, muitos silenciam e são vencidos por um argumento aparentemente bíblico, mas que se trata de uma artimanha carnal para que a pessoa não receba aquilo que ela não deseja ouvir. Um texto fora de seu contexto. 
     O "não julgueis" de Jesus, é contra  o julgamento superficial, baseado na aparência, precipitado, carnal e inconsequente. Se o “não julgueis” de Jesus, é um “cala boca” absoluto e se aplica a qualquer pessoa, situação,  época e lugar, temos um problema sério: a Bíblia se torna um livro contraditório. Por quê? Por que Jesus ensinou que os membros de uma comunidade cristã devem ser julgados (Mt 18:15 à 18) e pelos membros da própria comunidade. Paulo reforçou com um exemplo vívido ( 1ª Co 5:1 à 5 e 11 à 13). 
     À Timóteo e a Tito, o Apóstolo pediu "repreensão severa" aos que estivessem rejeitando as bases cristãs (1ª Tm 5:20  e  Tito 1:13). O que está em jogo aqui é o julgamento fundamentado em fatos confirmados, notórios, realizado por gente sábia, experiente, madura e conhecedora da natureza humana e da Palavra de Deus.
   Nenhum de nós gosta de ser repreendido. Somos naturalmente refratários e alguns até se sentem rejeitados quando isso acontece. Mas o Livro diz: "Disciplina rigorosa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá" (Pv 15:10). 
      Se você deseja crescer como pessoa e fazer a diferença sendo usado por Deus, lembre-se: primeiro Deus irá trabalhar em você e depois trabalhará através de você. Vai ter que aprender a  dizer "sim senhor" e as palavras mágicas para uma vida bem sucedida: "eu errei".
      Pare que esse negócio de "quem é você para me julgar" e limpe da sua boca a frase mal educada: "vai cuidar da sua vida". Se tem alguém te "julgando" ou "cuidando da sua vida", é porque você é notado(a), amado(a) e alguém está se importando com você. Pior é quando esses que te "julgam" ignorarem sua existência.      Você é um "zero", tanto quanto eu. Convém decidirmos se seremos um zero à direita ou a esquerda. 
     Tchau.

Um comentário:

Como se "pacifica" um país?

O Excelentíssimo Senhor Michel Temer , Presidente do Brasil, em sua primeira aparição após a conquista histórica no TSE , disse estar se...