sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Matou a família e postou no Youtube.

   
     Os crimes entre desconhecidos estão perdendo lugar na mídia. Foi-se o tempo que nas manchetes tínhamos: "matou amante da mulher a facadas", "matou patrão com dois tiros na cabeça", "assassinou vizinho por noitada barulhenta", etc. 
     Já era. Hoje os crimes estão acontecendo em família. O lugar mais seguro da Terra, transformou-se num circo de horror. Pais que atiram filhos pela janela (os Nardoni), filhos que matam pais a pauladas (Suzanne Von Richotofen), filho que mata pai e madrasta (Gil Hugai), esposa que esquarteja marido (caso Yoki), menino que assassina a família e se mata (Marcelo Pesseghini) , e a última: mãe acusada de matar as duas filhas adolescentes. Não se admire com a seguinte manchete: "matou a família e postou no you tube".

     De quem é a culpa?

     Creio que está acontecendo uma tragédia social inusitada, prenúncio do fim. Estamos atingindo o fundo do poço.
     Acredito que a culpa não é do tráfico e/ou consumo de drogas; não é dos video games violentos; não é da corrupção ou qualquer outro mal. A culpa é da religião. Isso choca você? Não deveria.
     Quando me refiro a "religião", falo dos sistemas religiosos. Todos eles. Não poupo nenhum. 
     Quando o delegado encarregado do assassinato dos Von Richtofen  foi entrevistado por uma rede de TV aberta, sobre o que estaria faltando para a juventude brasileira, sem pestanejar, bradou em rede nacional: "-Está faltando Deus". Acertou em cheio. Está faltando Deus. O poder sobrenatural de Deus, os valores eternos de Deus, os princípios imutáveis de Deus, a revelação dos atributos de Deus, a santa Palavra de Deus. A culpa é de quem deveria nos apresentar Deus e nos está entupindo de religiosidade.

      Malditos religiosos!

      Os fariseus eram criteriosos observadores da lei mosaica, praticantes da caridade, pregadores incansáveis e vigilantes da doutrina de Jeová. Eram super conceituados na sociedade e tinham o respeito das autoridades romanas. Mas Jesus os atacou veementemente dizendo:   "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo" (Mateus 23:13). Essa acusação é gravíssima. Jesus lançou sobre eles a culpa de entulhar a porta da salvação. Jesus atribuiu a eles, os "puro sangue" de Israel, a culpa pelo estado deplorável da espiritualidade de sua época. Em todo seu ministério, os fariseus e líderes judaicos tentaram criar embaraços ao ministério de Jesus e esse sempre os colocou como cúmplices das trevas.   "Disse-lhes Jesus: 'Se Deus fosse o Pai de vocês, vocês me amariam, pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por mim mesmo, mas ele me enviou.  Por que a minha linguagem não é clara para vocês? Porque são incapazes de ouvir o que eu digo.  'Vocês pertencem ao pai de vocês, o diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira" (João 8:42 à 44).

      Preste atenção.

     Religiosos, ouçam o que lhes falo. Ninguém obterá a salvação por  haver abandonado os vícios, ou por ser um bom cidadão, ter adotado uma boa filosofia de vida e dar parte de seu dinheiro para ongs que cuidam de deficientes, crianças em vulnerabilidade social ou idosos carentes.  Só há um caminho para o céu, uma única porta de entrada, uma única senha de acesso, um único prestador de serviço, um único canal: CRISTO. Nenhum sistema humano possui procuração divina para inscrever, quem quer que seja, no Livro da Vida. Só Jesus de Nazaré tem esse poder. Só Jesus liberta. Esse poder foi conquistado em sua espetacular encarnação, em sua vida irrepreensível, em sua morte vicária e sua estupenda ressurreição. Mesmo sendo totalmente Deus e totalmente homem, Jesus conquistou essa condição. 
     Parem de "vender a fé". Parem com esse marketing religioso. Apaguem as luzes e encerrem o show. Curvem-se diante do único que possui autoridade no Céu e na Terra: JESUS. Admitam a falência da religiosidade marketeira, doentia, estéril e vazia. Removam todo entulho de seus costumes, dogmas, rituais, performances, chavões e mantras. Só Jesus Cristo salva.

     Libertação para as famílias.

     Os fariseus ficaram "possessos"  quando Jesus lhes disse que precisavam ser livres. Retrucaram imediatamente: "somos filhos de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém". Cheio de autoridade, Jesus devolveu: "Se Abraão fosse, de fato, pai de vocês, vocês imitariam a fé que ele teve". E acrescentou: "se o filho vos libertar, serei verdadeiramente livres". 
     É isso que a família brasileira precisa ouvir. Não um sistema do "faça isso que você melhora sua condição com Deus", mas "veja o que Cristo fez por você e arrependa-se".
     Sua família pode ser melhor. Sua família pode ser liberta. Não importa como ela se encontra. Jesus pode trazer libertação, paz e harmonia. Não tente com a religião. Simplesmente não funciona. Volte-se para Deus mesmo, em Pessoa, por meio de Jesus, a quem Ele mesmo providenciou para ser único, fiel e Todo Poderoso, com poder para trazer libertação. A imoralidade escraviza. A droga escraviza. A falta de perdão escraviza. Mas Jesus Cristo liberta. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Creia nisso.
     Só Jesus Cristo salva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...