sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Política limpa, cultura brasileira e "vamo que vamo".

A cultura brasileira tem sido uma cultura de corrupção. É utópico falar em erradicação da corrupção no Brasil. Os cientistas políticos afirmam que não existe país onde não haja corrupção. O que existe são os mais corruptos e menos corruptos, pois onde houver ser humano, haverá corrupção. Deixemos o planeta Marte em paz.

            Para que servem os partidos?
            Os partidos existem, não para proporcionar um governo melhor, mas para promover interesses egoísticos, todos os partidos, não poupo nenhum. Agem por competição, vaidade pessoal e em muitos casos, por pirraça mesmo, pura vingança.
            Outro dia abordaram um cidadão comum perguntando se era de direita ou de esquerda. “ – Sou brasileiro”. Nada mais sábio. O problema da política é o partidarismo e seus ideias pessoais (para não dizer familiares, amigos de infância, ou de bar). Precisamos de políticos que digam com orgulho: “- em matéria de política partidária, sou brasileiro”. O que importa é  se a proposta visa o que é honesto, lícito, bom para a população em geral. Simples assim.

            “Para-políticos”.
            Quem são eles?  São os detentores do poder maior: o poder aquisitivo. Não me iludo. E você, não se iluda também. Os que mandam no Brasil não se candidatam, não tem bandeira partidária. Fazem lobby. São os reais (quase falei verdadeiros) “manda chuvas” da nação. São, em média, acionistas de grandes empresas ligadas ao ramo da construção civil (ou das comunicações) ou bastiões de alguma grande multinacional. Mandam e desmandam na política como seus reais governantes. Se um dia isso acabar, as urnas funcionaram de verdade.
           
O Político acima de tudo.
            Você pode me achar um tanto pessimista. Acertou. “Maldito o homem que confia no homem”, diz o Livro de Deus. Mas “bendito é aquele que confia no Senhor” (Jeremias 17:5,6,7). Eu acredito em Deus. Caso contrário, só me restaria uma bala na cabeça. Sei que Deus é o Poder Superior (não sou maçom) que, acionado por meio da oração humilde, movida por interesses altruístas, é Aquele que “muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ... dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes” (Livro do Profeta Daniel, 2:21).  Acredito que haja pessoas sinceras na política e que continuem assim após um segundo mandato, o que é raro.  Acredito nisso por acreditar num Político acima de tudo e de todos. Um Político que não se corrompe, não muda, não sofre pressões, não se intimida, não se curva diante de ninguém e cuja proposta é limpa, ampla, objetiva, exequível e de recursos inesgotáveis. Quem é esse político? Leia o Salmo 23 e descobrirá.

            Viva o Brasil!  E tenha fé, muita fé. E "vamo que vamo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...