sexta-feira, 15 de abril de 2011

DEMAS. Quem é ele?

Um ex-seguidor de Cristo (Fm 1:23,24), cujo testemunho bíblico afirma ter “amado o presente século” (2ª  Tm 4:9,10). Não exatamente se “desviado”, perdido a fé, caído em pecado grosseiro ou promovido algum ato de rebeldia ou escândalo. Nada disso.  Abandonou Paulo, o apóstolo, por haver amado o “aion”, o tempo presente, os ares que as pessoas daquele tempo gostavam de inalar.

Dizem que o interesse de Demas pela obra de Deus e os valores de seu Reino, diminuiu acentuadamente. Não conseguia mais acompanhar o “pique” do apóstolo. Demas perdeu a adrenalina, a vibração pelas coisas que faziam Paulo vibrar. Num linguajar de periferia, Demas não tinha mais “sangue no olho” pelas coisas de Deus.

Esta falta de vibração está se espalhando atualmente entre os seguidores de Jesus. Gente que afirma ser cristã,  ligada a uma denominação evangélica, mas com uma vida opaca e um desempenho pífio, atuando num ministério qualquer, pensando mais em “fazer alguma coisa” para Deus do que ser um instrumento poderoso em suas mãos. Sua paixão por Jesus não existe mais.

Paulo representa a vida de “entrega”, “crucificada”.  É um símbolo vivo do compromisso com Deus e a obra. Paulo “se deixou gastar” pelas pessoas, sentia “dores de parto” por elas e tinha orgulho de dizer que “trazia no corpo as marcas do Senhor Jesus”. Demas, por certo tempo, achou tudo isso “o máximo”, até que passou a questionar a intensidade com que Paulo vivia. Valeria à pena? Não seria exagero? Foi assim que Demas desertou: diminuindo o ritmo, ponderando, colocando “o pé no chão”. Demas deixou de amar a obra de Deus, e passou a amar a si mesmo. Amando a si mesmo, apaixonou-se pelo estilo de vida da sociedade em que estava inserido, seus valores e ideais. Não era frio, nem quente. Tornou-se morno, “centrado”, “no muro”, tentando ser amigo do mundo e amigo de Deus, ao mesmo tempo (Tg 4:4).

Demas. Quem é ele? Onde estaria nos dias de hoje? Professor da escola dominical? Ministro de  louvor? Um diácono? Presbítero? No ministério pastoral?

Demas. Muito mais que um personagem obscuro do Novo Testamento. Um espectro sombrio que insiste em enfraquecer o testemunho de Cristo na terra.

Se perdi a paixão pelo evangelho, se o ardor por Cristo se enfraqueceu, se hoje já não me emociono ao ler a Bíblia, se o ato de congregar com irmãos se tornou rotineiro para mim e a oração uma tarefa a ser cumprida, eu sei quem é Demas e onde ele está. E você? 

Um comentário:

  1. Post maravilhoso.
    Estou encaminhando agora para os meus contatos... Todo cristão precisa ler exatamente isso que você escreveu!!

    Muito obrigada por escrever algo assim... Inspiração para esse dia!!

    ResponderExcluir

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...