quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Luxúria - Davi, pós moderno.



Principal empresário de sua região, Davi reuniu seu staff na empresa e comunicou  a necessidade de um afastamento de 50 dias, para aliviar o stress. Recomendação médica (?). Concedido, foi para casa e iniciou um tempo de ociosidade planejada e “merecida”, afinal, o mundo dos negócios virou uma verdadeira "guerra".
Facebook
Após alguns dias, sentou-se a frente de seu note-book e ficou zapeando. Religioso que era, limitou-se a permanecer em sites de conteúdo ligth, mas acabou no facebook onde encontrou (imagine) uma moça que havia encontrado certa vez  nos corredores da empresa. A foto do perfil mostrava o rosto quase perfeito da “princesa” e Davi foi direto aos álbuns de fotos. Depois de mais de uma hora, ouviu um barulho vindo do hall de entrada e desligou rapidamente o aparelho.  Seria sua esposa? Ufa! Apenas um susto. Voltou para o seu quarto e continuou a navegação.

Adrenalina.
Depois de degustar as mais variadas fotos , 127 ao todo, voltou ao perfil daquela “deusa” e descobriu que era esposa de um de seus gerentes. E agora? Ele precisava manifestar o interesse que lhe fora despertado, mas de modo sutil. Escolheu as fotos mais, digamos... comportadas, e clicou em “curtir”. Dai em diante passou a frequentar a página da moça várias vezes por... DIA !!! 
Numa noite fria, já passava das 00h30, Davi percebeu no ícone de "mensagem" um recado. Sua adrenalina foi a mil e quase não conseguiu clicar, pois tremia de ansiedade. Na caixinha de diálogo havia apenas uma minúscula palavra mas de um conteúdo intensamente sensual: “- Oi”.

Curtindo adoidado.
Trêmulo, levantou-se, foi a cozinha, abriu a geladeira, pegou uma garrafa de vinho branco e tomou um copo inteiro...andou pra lá e pra cá... voltou à frente de seu note book e respondeu com outro delicado “oi”. O que se seguiu  foram dias e dias trocando mensagens, curtindo e trocando fotos  até que ela mencionou o fato de seu esposo haver sido enviado para Singapura à negócios. 
Davi "pirou". Voltou a geladeira, tomou outro copo  de vinho (aliás, dois)... suas pernas tremiam... foi ao notebook e desligou-o rapidamente. Tentou dormir e não conseguiu. Ficou três dias longe do computador, mas não resistiu.  Voltou numa noite de sexta, viu no aplicativo de localização que ela havia saído de casa dirigindo-se a um shopping e enviou uma mensagem de texto ao seu celular: “ – onde vc está?” A resposta demorou insuportáveis 3 minutos e então veio o retorno: ”estou em frente à sorveteria”. Foi assim que Davi saciou sua luxúria.

E agora?
Semanas depois a situação ficou tenebrosa: “estou gra...” apareceu em seu celular  num jantar de família. No "vibra", é lógico. Levantou-se discretamente e foi até a varanda de seu apartamento. Uma cobertura num bairro nobre. Sua cabeça girava...o que fazer? “- Chutar o balde e assumir o que fiz...”, pensou.  Duro era ter que lidar com o marido quando retornasse...mas... “- espera aí”...pensou. “- Sou o presidente da empresa e posso fazer com que algumas coisas aconteçam sem chamar a atenção”.  

Mexendo os “pauzinhos”
Retornou imediatamente ao trabalho, reuniu a diretoria e sugeriu enfaticamente que postergassem o retorno do gerente em Singapura. “- Impossível”, disse um dos diretores. “- Ele já está em Miami, pronto para embarcar para o Brasil”. Davi pensou rápido: “-Vocês precisam conhecer melhor esse cara”, e passou a fazer algumas calúnias até que resolveram dar-lhe 15 dias de férias. Davi pensou: “Isso! Quem sabe agora ele volta para casa e a situação fica encoberta”. Mas o fulano retornou doente, foi internado sem ter qualquer contato com a esposa. Davi desesperou-se e fez uma loucura. Arrumou um jeito de demiti-lo. Algo difícil, pois ele havia ganhado três prêmios de Gerente Eficaz, tinha reputação de bom chefe de família e era o sobrinho preferido de um dos diretores.

Para encurtar a história.
Sua autoridade de presidente prevaleceu, no entanto a vida lhe reservaria alguns revezes.  O gerente entrou em depressão e veio a sofrer um enfarto. A criança nasceu morta. O caso ganhou ampla repercussão e sua reputação foi manchada. Seus filhos viveram o resto da vida às turras, dois vieram a falecer de modo trágico e sua aventura sexual lhe redeu perdas e danos irreparáveis. Arrependido, após receber “uma dura” de um de seus melhores amigos, encontrou o perdão de Deus, mas arcou com amargas consequências de seus atos pelo resto de sua vida.
Moral da história: procure ser a pessoa certa, no lugar certo, fazendo a coisa certa, caso contrário, as consequências serão implacáveis.
"O salário do pecado é a morte, mas o presente gratuito que Deus dá é vida eterna. O que o homem semear isso colherá. Que semear segundo os desejos da natureza humana, colherá perturbação, mas o que semear de acordo com o Espírito Santo. há de colher a eternidade. Há caminhos que a nós parece certo, mas no final, acamba dando em morte" ( Rm 6:23 - Gl 6:8 - Pv 14:12 - Bíblia).

(ADAPTADO - Encontre a versão original desta história na Bíblia em 2ª Samuel 11,12)

sergiomarcos59@hotmail.com

OBS: O Deus cristão é misericordioso e perdoador, mas a sociedade em que vivemos, não. A história do Davi bíblico é um espectro registrada no história que já se repetiu em maior ou menor grau ao longo da saga humana. Bem faremos se atentarmos para esse testemunho silencioso e jamais trocarmos momentos de prazer por uma reputação que nos fará bem ao longo de toda nossa existência.

Um comentário:

  1. Muito bom em Ver seu Blog atualizado!Textos inteligentes e edificantes! abraços

    ResponderExcluir

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...