terça-feira, 17 de maio de 2011

Evangélico e "baladeiro". E daí?

    Se um cidadão do início do século XX dormisse e acordasse em nossos dias, sofreria um colapso. Imagine: o melhor jogador de futebol do Brasil é uma mulher (Marta), o presidente norte americano é negro, o casamento entre homossexuais é legalizado, o presidente mais popular da história do Brasil foi um metalúrgico do ABC e jovens cristãos, assíduos frequentadores de igrejas evangélicas, saem do culto e vão para... a balada.
     De tudo que citei acima, apenas o último exemplo pode ser considerado 100% surpreendente. Por que?
     Por que o cristianismo tem um foco: Cristo.
     O cristianismo tem um modelo: Cristo.
     O cristianismo tem uma filosofia de vida: Cristo.
     O cristianismo tem um compromisso com a vida de Cristo.
     O cristianismo tem um apelo: levar o mundo perdido a Cristo.
     Cristianismo prevê uma comunidade conhecida como Igreja, o Corpo de Cristo.
     O cristianismo propõe ser uma alternativa para os que estão cansados e oprimidos pela vida sem Cristo.
     O cristianismo ensina uma vida de renúncia as paixões mundanas do presente século pelo poder do Espírito de Cristo.
     O cristianismo ensina que a cada dia, minuto e segundo, o cristão está com Cristo e em Cristo.
     O cristianismo entende e ensina que sobriedade, o dia todo e todo dia é importantíssimo para se cumprir o mandamento cristão de "vigiar e orar".
     Mas se eu quiser ser cristão e "baladeiro" ao mesmo tempo? Alguém tem alguma coisa com isso?
     Não. Claro. Ninguém tem nada com isso. Cada um vive como bem entender. Quem deseja assobiar e chupar cana ao mesmo tempo, fique a vontade.
     Quem deseja dar nó em pingo d´água, qual o problema?
     Quem deseja contornar a esquerda virando a direta, problema dele.
     O mal do nosso século não é a droga ou a depressão (como muitos ensinam)... mas a indefinição, o tom pastel, o relativismo, a ausência de absolutos, de contrastes, de comprometimentos.
     Cristãos na balada são como ateus numa missa, palmeirenses na gaviões da fiel; estadudinenses cirstãos  recitando (de cor) o Alcorão; judeus beijando a suástica.
     "Coitados dos que dizem que o certo está errado e o errado está certo; que dizem que o preto é branco e o branco é preto; que afirmam que o amargo é doce e o doce é amargo" ( Is 5:20).
     Cristãos numa balada por quê, se Cristo é sua alegria, seu prazer, sua paz, seu alimento, seu sustento, sua vida, seu tudo?
     Balada? Pra que?

   
   
   
   
   
   

2 comentários:

  1. Jesus é O caminho, A verdade e A vida.
    Cristão na balada é artigo definido ou indefinido?

    ResponderExcluir
  2. De fato, um cristão de verdade, comprometido com os valores do Reino de Deus, conforme tentei mostrar acima, não tem o que fazer numa balada. Hoje em dia o que se vê em muitas igrejas, são cristãos nominais, ou seja, apenas aderiram a fé, não nasceram de novo.

    ResponderExcluir

Como viver em paz em um mundo em convulsão?

Silvio Brito na década de 70 cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com “ – pare o mundo que eu quero...