segunda-feira, 5 de março de 2012

O caminho da verdadeira espiritualidade.


O assunto do momento nas redes sociais, livrarias e bancas de revista é, sem dúvida,“espiritualidade”. 
Por "espiritualidade" entenda-se “práticas, costumes e crenças que nos levem mais perto da Divindade”.  Neste caminho, budistas, espiritualistas, cristãos e até ufologistas se aventuram, e narram suas experiências com paixão.
Em se tratando de cristianismo, o termo "espiritualidade" pode significar: a) arrumar um emprego melhor na seção de descarrego de uma destas "igrejas transcontinentais dos milagres de Deus"; b) cair no Espírito rindo sem parar; c) participar de um retiro em busca do aceticismo monástico ou; d) ir a um show gospel do cantor ou grupo do momento.
Cá pra nós, "ser espiritual" pode significar tudo e, ao mesmo tempo, nada. Para conhecer o caminho da verdadeira espiritualidade, preciso ir à fonte, o lugar onde tudo começou. 
Não estou propondo  um destes pacotes de viagem à Terra Santa, que de "santa", hoje em dia, não tem nada, e se tiver, é tão pouco que o comércio turístico já engoliu. Refiro-me ao Livro, como fonte da verdade.
      No Evangelho de João, capítulo 14:5,6 , os discípulos esperavam que Jesus “mostrasse” o caminho. Ou seja, o modelo da verdadeira espiritualidade. Mas o Mestre simplifica  e responde: “O caminho sou eu”. O que Jesus quis dizer com isso?
        Primeiramente: - Não autorizei ninguém a fundar uma religião em meu nome. "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem (1ª Tm 2:5) .Você não encontrará nada e ninguém que faça de você uma pessoa espiritual, ligada à Deus, fliundo seu amor e bondade neste mundo. Não há uma religião sequer no planeta (ou fora dele) que tenha uma procuração para falar ou agir em nome de Deus. O caminho não foi pontuado por leis, dogmas, rituais, crenças ou liturgias. O caminho é uma pessoa e não um sistema.
         Em segundo lugar , ele afirma:  - O que ensinei (ou fiz) não pode se separar do que Eu sou.  "No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus" (Jo 1:1). Há pessoas que pensam que são espirituais por obedecerem, ou seguirem, os mandamentos de Cristo, ou por terem sido curadas por ele, ou por serem usadas para curarem em seu nome. Mas o que Jesus ensinou ou fez, não se separa daquilo que ele é. O caminho é Ele, Jesus Pessoa, e não o que ensiou ou fez.
       Finalmente, afirmou:  - Não espero sua obediência cega, mas  seu amor. "Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos" (Jo 14:15). Isso é chocante, mas é verdade. Prestar-lhe obediência cega não garante uma vida espiritual ou a eternidade. Vivi minha vida toda achando que fé e obediência eram o bastante. Ledo engano. Se eu amar Jesus, vou obedecê-lo. O amor por ele é o maior mandamento (Mt 22:36,37).
      A verdadeira espiritualidade não se encontra numa religião, mas num relacionamento de amor com Jesus. Isso muda tudo. E como muda. Mude agora mesmo. Mude já. Jesus te ama. Não tenha medo de ser amado por Ele. Não tenha medo de amá-lo também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Onde encontrar paz num mundo em convulsão?

     Silvio Brito na década de 70  cantava uma canção que se tornou hit rapidamente. Cada estrofe começava com  “ – pare o mundo que eu ...